Skip to content Skip to sidebar Skip to footer

Carreira, como se sentem os portugueses!

O que mostram os números!

Recentemente foi realizado um estudo em Portugal Continental (Eurobarómetro), onde se verificou que apenas 32% dos trabalhadores portugueses se encontram satisfeitos com o seu trabalho e com a sua carreira. Contrariamente a este valor, 70% dos trabalhadores portugueses manifestam insatisfação com o seu trabalho e, portanto, com o rumo da sua carreira.

Trabalhar em algo que não nos satisfaz, gera inevitavelmente um sentimento de insatisfação constante, afetando certamente a nossa vida.

Causas de Insatisfação na Carreira

Com efeito, esta insatisfação pode estar ligada a diversos fatores. De entre eles, podemos destacar a dificuldade na integração com os restantes elementos da equipa, a relação com a chefia e as más condições salariais. Da mesma forma podemos falar na impossibilidade de progressão na carreira, tornando longínquo o tão desejado aumento salarial.

Hoje em dia, é cada vez mais frequente não nos ser permitido comentar que, de alguma forma nos sentimos insatisfeitos com o nosso trabalho. O mais provável é logo em seguida ouvir alguém dizer “o quanto deveríamos estar gratos por ter um trabalho e uma carreira”.

Por este motivo, a maioria das pessoas opta por enfrentar calada a angústia e insatisfação nesta área da sua vida. O que inevitavelmente, acabará por trazer consigo consequências desastrosas.

Sem dúvida, poderia aqui especificar inúmeras consequências. No entanto, irei focar-me apenas naquelas que percentualmente mais afetam a vida dos portugueses.

Consequências da insatisfação na Carreira
Na família

É muito provável que o profissional, devido à frustração causada pelo trabalho, chegue a casa sem grande energia nem motivação. Este desgaste poderá levar à falta de paciência para brincar com os filhos, ou a passar tempo de qualidade com o seu companheiro(a).

Como resultado, poderá haver um aumento nas discussões entre o casal, criando desta forma desarmonia no ambiente a nível familiar.

Esta falta de energia e de vontade, poderá levar o profissional a deixar para trás outras coisas que gosta de fazer, ou seja, transforma-se numa desmotivação generalizada.

Na saúde

O aumento do desequilíbrio na saúde e bem-estar da pessoa, já que a ansiedade, o stress e a frustração causados pelo trabalho, levam a uma má qualidade de vida. Posteriormente, este desequilíbrio poderá via a causar insónias, doenças cardíacas, transtornos alimentares e síndrome de burnout. Em casos mais extremos, pode levar à depressão.

A nível financeiro

A insatisfação, manifesta-se muitas vezes também, por um aumento nas compras por impulso, como forma de suprimir o vazio da insatisfação com a vida em geral. Este impulso poderá levar a gastos excessivos e desnecessários, e por conseguinte, provocar o desequilíbrio desta área.

Em suma, é importantíssimo perceber em que fase está o seu trabalho, a sua carreira e como se sente em relação a isso. Se está insatisfeito é prioritário encontrar soluções, identificar o fator que está a desencadear todos esses sentimentos e frustrações, e mudar o rumo da sua vida.

 

Comentar